Open post

8 técnicas psicológicas para lidar com stress e ansiedade

Muitos estudiosos consideram o stress e a ansiedade os males característicos do nosso século. São várias as características da vida moderna que, se não causam, despertam e não ajudam a domar os medos irracionais: a vida violenta das grandes cidades – em SP, por exemplo, cerca de 30% da população sofre com alguma perturbação mental -, as pressões profissionais e sociais que as redes sociais acirraram e o consumo excessivo de informação são alguns dos fatores que podem agravar ansiedade e stress.

Sintomas típicos de stress e ansiedade incluem taquicardia, cansaço frequente, insônia, falta de ar, irritabilidade. Se você já teve algum quadro clínico associado a alguma dessas coisas, sabe o quão difícil é se livrar delas. E embora a gente sempre sugira buscar um médico caso você perceba que anda nervoso demais e isso esteja afetando sua saúde, há várias técnicas aprovadas por psicólogos que podem te ajudar a lidar melhor com esse tipo de coisa:

1. Esteja presente

Você já deve ter lido outra de nossas listas de lifehacks e já deve ter se deparado com a sugestão “medite”. Sem medo de parecer repetitivo, a gente vai nessa linha de novo: meditar é apenas uma das maneiras de estar presente. Praticar exercícios, fazer caminhadas ou mesmo ter um hobby que tome 100% da sua atenção – essas coisas focam você no momento e evitam que você pense no que poderia ter sido e não foi e nas possibilidades do futuro, coisas que costumam intensificar a ansiedade e o stress.

2. Entenda o poder da sua respiração

Ansiedade e stress geram respiração ofegante. E retomar o controle da sua respiração pode, no caminho inverso, acalmar sua mente. Respire fundo algumas vezes quando sentir que está nervoso e isso enviará ao seu cérebro a mensagem que você está calmo – já que quem está calmo respira devagar.

3. Cultive um olhar diferente em relação aos seus problemas

Você pode olhar pra uma situação estressante – uma reunião com um cliente – como uma situação estressante ou como uma oportunidade de impressionar alguém importante no seu network. É tudo uma questão de ponto de vista. Deixe a pressão te ajudar a fazer um trabalho melhor, em vez de trazer à tona suas inseguranças.

4. Aceite o que você não pode mudar

Com o perdão do clichê, clichês são clichês por uma razão: eles são verdade. Algumas coisas são o que são e lutar contra elas mentalmente, perguntando porque elas estão acontecendo com você, se culpando ou se martirizando só vão te deixar mais ansioso. Aceite que o problema é do jeito que é: deixe de pensar como poderia ter sido diferente caso as coisas… tivessem sido diferentes. Há coisas que você não pode controlar. Você não pode escolher o que seu chefe, seu marido ou sua sogra vão te falar, mas pode escolher como lidar com isso.

5. Ocupe a mente (mas não muito)

Mantenha-se ocupado o suficiente para não deixar o ciclo de pensamentos negativos seguir seu curso. Não adianta se estressar mais ainda, mas tente manter-se compenetrado em tarefas de alto nível de atenção e que não sejam muito chatas.

6. Exercite-se

Esse é outro clichê das nossas listas. É que se exercitar faz bem pra sua mente e pro seu corpo, e como não poderia deixar de ser, ajudar a diminuir os níveis de stress e ansiedade. Uma caminhada basta: depois de 21 minutos andando, você já sente alguns efeitos benéficos do exercício no seu organismo: mais calma, foco e disposição.

7. Durma bem

Publicamos um guia com dicas para dormir melhor. Dormir bem e suficiente pode ser a solução pra muitos problemas do seu dia a dia, e não é diferente com stress e ansiedade, que inclusive causam insônia. Então, minimizar distrações e luzes, fazer do seu quarto e da sua cama um santuário do sono e esvaziar a cabeça antes de dormir podem te ajudar.

8. Não seja vítima do perfeccionismo

Sucesso não é uma linha reta, embora pareça assim quando a gente olha pra quem é bem sucedido. Problemas acontecem na vida de todo mundo, as pessoas falham e precisam recomeçar e você não está imune a isso. Se cobrar por perfeição é absurdo porque não é justo com você – além disso, muita gente que é perfeccionista ao extremo só é cruel assim consigo mesmo, porque seria incapaz de cobrar tanto os amigos e os colegas de trabalho, por exemplo. Ou seja: porque você faz consigo o que não faria com os outros?

Não confunda perfeccionismo com um desejo por dar sempre o seu melhor . O perfeccionismo é uma cobrança cruel e irreal e leva à depressão, ansiedade, vícios e é paralisante – especialmente quando deixamos de fazer o que queremos por medo de que não seja perfeito.

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Life-Hacks/noticia/2014/08/8-tecnicas-psicologicas-para-lidar-com-stress-e-ansiedade.html

Open post

Frutas recomendadas para diabetes

Saber quais são as frutas mais recomendadas para diabetes é importante para evitar os picos de glicemia, que podem ocorrer ao consumir grandes quantidades de frutas ou sucos, especialmente quando são ricas em carboidratos, como banana, figo e tamarindo.

A melhor escolha é consumir a fruta fresca, principalmente aquelas ricas em fibras ou que podem ser consumidas com casca, como maçã, pera e laranja, pois a fibra ajuda a diminuir a velocidade que o açúcar é absorvido, mantendo a glicemia controlada.

Frutas recomendadas para diabetes

Frutas permitidas na diabetes

Todas as frutas podem ser consumidas pelos diabéticos, desde que em pequenas quantidades para não estimular o aumento do açúcar no sangue. Além disso, a melhor opção são aquelas frescas com bagaço e casca, podendo também serem utilizadas frutas congeladas ou enlatadas sem adição de açúcar na calda.

Em geral, recomenda-se consumir de 3 a 5 unidades por dia, lembrando que 1 fruta fresca média contém cerca de 15 g de carboidratos, o que também é encontrado em 1/2 copo de suco ou em 2 colheres de sopa de frutas secas.

Veja na tabela a seguir a quantidade de carboidratos presentes nesses alimentos:

Fruta (100 g) Quantidade de carboidrato
Abacate, 1 unidade média 25,8 g
Abacaxi, 1 fatia média 9,2 g
Banana prata 10,4 g
Goiaba vermelha 22,1 g
Laranja baía, crua 20,7 g
Maçã 21,6 g
Mamão papaya, 1 unidade média 32,2 g
Melancia, 1 fatia média 16,2 g
Pera 17,6 g
Tangerina 12,9 g
Uva, 1 cacho pequeno 23,1 g

Também é importante lembrar que o suco contém mais açúcar do que a fruta fresca e menos fibras, o que faz com que a sensação de fome volte logo e o açúcar no sangue aumente mais rapidamente após a ingestão. Além disso, antes do exercício também é importante fazer uma refeição adequada para evitar que os níveis de açúcar fiquem muito baixos. Saiba mais em: O que o diabético deve comer antes do exercício.

Frutas que devem ser controladas

Algumas frutas devem ser consumidas com moderação pelos diabéticos por conterem mais carboidratos ou por terem menos fibras, o que facilita a absorção do açúcar no intestino. Os principais exemplos são ameixa em calda enlatada, açaí polpa, banana, jaca, pinha, figo e tamarindo.

Uma dica para evitar o aumento da glicemia é consumir as frutas juntamente com alimentos ricos em fibras, como aveia em flocos, biscoito integral ou na sobremesa de refeições que contenham salada, como o almoço ou o jantar. Veja outros alimentos que se deve evitar em: Alimentos ricos em açúcar.

Posso comer frutos secos?

Os frutos secos, como castanhas, amêndias e nozes, devem ser consumidos em pequenas quantidades, pois eles têm um teor de carboidratos mais elevado que a versão fresca. Além disso, ales também são ricos em gordura, o que em excesso pode favorecer o aumento do peso, e por isso recomendam-se apenas de 2 a 3 unidades desses alimentos por dia, nos lanches ou após as refeições principais.

Assista ao vídeo a seguir e saiba como ter uma alimentação equilibrada para controlar melhor a glicemia.

Fonte: https://www.tuasaude.com/frutas-recomendadas-para-diabetes/

Open post

E-mail falso sobre saques do FGTS é usado para roubar senha

Arquivo chamado “CronogramaFGTS” inicia vários downloads e instala um vírus que verifica quais plugins de bancos estão instalados na máquina da vítima

Empresa fabricante de antivírus ESET detectou na semana passada um golpe online que utiliza um e-mail falso, que promete apresentar o cronograma para saques das contas inativas do FGTS, para roubar dados bancários de clientes de nove instituições financeiras.

Segundo a empresa, o e-mail contém um anexo chamado “CronogramaFGTS” que, ao ser aberto, inicia vários downloads e instala um vírus que verifica quais plugins de bancos estão instalados na máquina da vítima. Assim, todas as vezes que o usuário abre sua conta bancária pelo computador, o vírus captura suas senhas e chaves de segurança e envia para os cibercriminosos. A ESET ressalta que essa praga eletrônica não afeta smartphones.

O calendário oficial para a retirada do dinheiro ainda não foi divulgado pelo governo. A expectativa é que o anúncio seja feito ainda neste mês, e que os saques comecem a partir de março, levando em conta a data de aniversário do trabalhador. Serão liberados R$ 30 bilhões para cerca de 10,1 milhões de pessoas.

Para o presidente da ESET Brasil, Camillo Di Jorge, os criminosos aproveitam temas de grande interesse do público para aplicar golpes que atingem milhares de pessoas rapidamente. “Na ânsia de obter informações sobre o FGTS, os usuários muitas vezes não verificam o remetente, links e arquivos para download contidos na mensagem”, explica.

A ESET afirma que já notificou o servidor responsável por enviar os e-mails para suspender a propagação do código malicioso.

Fonte: http://vejasp.abril.com.br/cidades/e-mail-falso-sobre-saques-do-fgts-e-usado-para-roubar-senha/

Open post

Quer uma vida mais saudável em 2017? Saiba como cumprir essa meta

Que tal incluir na sua lista de metas para 2017 ter uma vida mais saudável? Mas não vale apenas deixá-la no papel, como muitas outras promessas de Ano-Novo, é preciso colocá-la em prática, de preferência ainda nos primeiros dias do ano. A começar com o agendamento de uma consulta com um clínico para realizar um check-up completo e ter a real noção dos cuidados a serem tomados no decorrer dos meses seguintes.

“Nessa primeira consulta, o médico vai avaliar os seus antecedentes para avaliar possíveis riscos a determinadas doenças. Os exames solicitados, geralmente, estão focados no histórico pessoal, bem como familiar”, explica Carolina Castro, endocrinologista do Hospital Israelita Albert Einstein. Segundo ela, os check-ups também são baseados na lista das doenças que mais matam.

A primeira delas as cardiovasculares. Cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem todos os anos vítimas de doenças como ataques cardíacos e derrames, segundo a Organização Mundial da Saúde. Para evitá-las, como aponta Castro, é preciso atenção redobrada em basicamente quatro aspectos:

1. Colesterol
Um tipo de gordura presente na corrente sanguínea que desempenha funções essenciais para o funcionamento do organismo, como regeneração de tecidos, produção de hormônios, entre outros. O grande problema está em seu excesso.

O LDL (lipoproteína de baixa densidade) –conhecido como colesterol ruim– são nanomoléculas mais simples que, em grande quantidade no organismo, ficam depositadas nas artérias, formam placas, entopem as veias e causam problemas cardiovasculares. Já o HDL (lipoproteína da alta densidade) –conhecido como o colesterol bom– leva o LDL de volta para o fígado, para o colesterol “ruim” ser excretado.

Por isso, na maioria dos casos, ter uma grande quantidade dele circulando no sangue é algo bom para a saúde do corpo. Mas estudos revelam que nem sempre ter níveis elevados de HDL no organismo protegem a pessoa de desenvolver doenças cardíacas.

Vale lembrar ainda que há pesquisas que apontam não só a gordura, mas também o açúcar como os grandes vilões do colesterol. “O conceito de que você precisa de açúcar para viver é propaganda que a indústria do açúcar usou para as pessoas não acharem que poderia ser perigoso consumi-lo. O açúcar não é perigoso por causa das suas calorias, mas porque a bioquímica da molécula é perigosa”, afirma o endocrinopedriatra e pesquisador Robert Lustig, da Universidade da Califórnia (EUA).

2. Diabetes
Ao todo, 415 milhões de adultos viviam com diabetes em 2015. A previsão, segundo a Federação Internacional do Diabetes, é de que esse número chegue a 642 milhões em 2040 – uma proporção de um adulto diabético para cada dez adultos no planeta.

O desencadeamento do diabetes tipo 1 é geralmente repentino e dramático e pode incluir sintomas como: sede excessiva; rápida perda de peso; fome exagerada; cansaço inexplicável; muita vontade de urinar; má cicatrização; visão embaçada; falta de interesse e de concentração; vômitos e dores estomacais, frequentemente diagnosticados como gripe.

Os mesmos sinais podem ser observados em pessoas com diabetes tipo 2, mas, geralmente, eles se apresentam de forma menos evidente. Em crianças com diabetes tipo 2, os sintomas podem ser moderados ou até mesmo ausentes.

3. Pressão alta
Silenciosa, a pressão alta é uma doença perigosa e que atinge cerca de 17 milhões de pessoas no país, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão.

É importante frisar que um dos principais fatores de risco para a hipertensão é a hereditariedade. Quem tem pai ou mãe com a doença tem 30% mais chances de vir a ter pressão alta.  Se os dois genitores têm o mal, esse percentual bate na casa dos 50%.

Ainda assim há muitas outras causas que podem colaborar para o desenvolvimento da doença, como fumar, beber, não praticar atividades físicas, estar acima do peso, se alimentar mal e viver estressado.

Outro grande vilão, bastante presente no prato do brasileiro, é o sal. Isso porque, por um processo chamado osmose, ele aumenta a retenção de água pelo organismo, o que pode elevar a pressão nas paredes das artérias. Além disso, o sódio contido no sal pode causar o estreitamento dos vasos sanguíneos ao inibir a ação do óxido nítrico, que é uma substância dilatadora.

4. Obesidade
Obesidade tem uma série de causas, fatores genéticos, ambientais, emocionais. Filhos de pais obesos, por exemplo, têm maior chance de serem obesos na vida adulta. É preciso saber, no entanto, que estar acima do peso não é necessariamente ser obeso.

Excesso de peso é quando alguém que tem um IMC (Índice de Massa Corpórea) entre 25 e pouco menos de 30. Obeso é alguém que tem um IMC acima de 30. Para calcular este índice, deve-se dividir o peso (em quilos) pela altura (em metros) ao quadrado. Por exemplo: para uma pessoa com 1,70 m de altura e 70 kg, o IMC é 70/ (1,70 x 1,70) ou seja, 24,2.

Outros cuidados com a saúde

Além dos cuidados redobrados com esses aspectos de sua saúde, a endocrinologista do Hospital Israelita Albert Einstein também diz ser essencial ficar atento ao câncer, segunda doença que mais mata no mundo.

“Portanto, o recomendado é que as mulheres mantenham todos os exames ginecológicos em dia, assim como visitem um dermatologista para cuidar da pele. Aos homens de acima de 40 ano, a consulta a um urologista se faz mais do que necessária”, aponta Castro.

A especialista também sugere uma visita ao oftalmologista, que poderá avaliar os possíveis riscos de glaucoma, a “principal causa de cegueira”.  Procurar um dentista é uma outra sugestão para que você consiga entrar o ano com a boca mais saudável e com tudo em cima.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2016/12/31/quer-uma-vida-mais-saudavel-em-2017-saiba-como-comecar-a-cumprir-essa-meta.htm

Posts navigation

1 2 3 4 5 8 9 10