Open post

Alimentação adequada das crianças no verão

Durante as férias, a rotina muda, mas é preciso tomar alguns cuidados com a saúde do seu filho. Confira a coluna do nutrólogo Mauro Fisberg.

As férias escolares estão no auge! Sinônimo de muita diversão, passeios, viagens, praia, piscina, tarde com os amigos, horários flexíveis e consumo freqüente de comidas nada saudáveis. Tudo sai da rotina – afinal são as férias! Mas quando se trata da alimentação da criançada, é preciso tomar alguns cuidados, mesmo nos dias de folga. Aqui, sugerimos algumas medidas para que o verão passe sem contratempos:

1.Procure ter um horário para seu filho acordar, fazer as refeições, se divertir e dormir.

2.Garanta refeições fracionadas: café da manhã, almoço, café da tarde e jantar. Nunca deixe de preparar um café da manhã completo antes de sair de casa, pois dessa forma você garante nutrientes necessários no período da manhã.

3.Um ponto muito importante durante o verão é a hidratação. Caso esteja na praia ou na piscina, aumente a ingestão de água ou sucos de fruta naturais, vitaminas com leite e frutas, água de coco e picolé de frutas. O risco de desidratação aumenta no verão e as crianças muitas vezes não têm vontade de parar de brincar para beber algo, mesmo que sintam sede.

4.Dê preferência a alimentos leves, como verduras, legumes, grelhados, assados e refogados. Evite frituras e condimentos em excesso. Esteja atento, também, à procedência dos alimentos. Procure fazer as refeições em locais confiáveis.

5.Para minimizar as chances de contaminação alimentar, fique atento a frutos do mar, sorvetes, raspadinhas, bebidas e à refrigeração adequada dos alimentos (como não deixar a maionese fora da geladeira).

6.Abuse de alimentos frescos, saladas, verduras e legumes, frutas e sucos. Também não se esqueça dos alimentos que dão energia, como massas, o tradicional arroz com feijão e diferentes carnes. Aproveitar a oportunidade para experimentar receitas novas e combinações não tradicionais.

7.Em relação às guloseimas, nada proibições – só é preciso ter bom senso. Salgadinhos, refrigerantes, balas, chocolates e outros devem ser consumidos sem exageros – e não devem substituir as refeições. O consumo exagerado faz com que as crianças engordem muito nas férias.

8.Não trate a comida como algo sério e sem-graça. Os alimentos devem ser apresentados de forma agradável, com sabor adequado, tempero correspondente à idade e com a capacidade de agradar sem deixar a qualidade nutricional de lado. Mudar o aspecto de um alimento pode ser divertido, desde que a criança não seja enganada.

9.Caso fique em casa nas férias, se possível, faça com que a criança mantenha uma atividade física. Evite que ela passe muito tempo na frente da TV, do computador e do videogame.

10.Por fim, e também muito importante, garanta uma proteção solar adequada. Deixe que elas tomem sol apenas nos horários indicados e não se esqueça do protetor solar.

*Artigo escrito em parceria com a nutricionista Abykeyla Mellisse Tosatti, da Nutrociência Assessoria em Nutrologia

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI115852-15995,00.html

Open post

Alimentação para Mulheres

Em todas as fases da vida é preciso ter uma alimentação balanceada, consumir todos os nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo, além da prática de exercícios regularmente. Mas existem algumas fases que o consumo de certos alimentos pode colaborar com um melhor desempenho do organismo, vejamos algumas:

Dos 30 aos 45 anos

Cálcio

– As mulheres que estão nessa faixa etária devem ficar bem atentas com o consumo de cálcio, nutriente importante na prevenção da osteoporose. Para alcançar a recomendação diária é necessário o consumo de leite e derivados com teor reduzido de gorduras, que são fontes de proteínas, cálcio e contem poucas calorias. Outros minerais também auxiliam na formação e manutenção óssea, como fósforo e magnésio, presentes nos cereais integrais, ovos, legumes e frutas.

Fibras

– É muito comum a queixa de problemas com o funcionamento intestinal. Uma alimentação rica em fibras pode ajudar a resolver essa situação. Para isso é necessário o consumo diário de frutas, verduras, legumes, cereais integrais, acompanhado de uma ingestão adequada de água (1,5 a 2L).

TPM

– Alterações de humor, ansiedade, dores de cabeça e outros sintomas fazem parte desse período de grande desconforto para muitas mulheres que sofrem de TPM, mas saiba que a alimentação pode ajudar a controlar os sintomas. Evite frituras e alimentos gordurosos, refrigerantes, bebida alcoólica, café e chá preto. Consuma castanhas e leite, derivados com baixo teor de gordura.

Inchaço

– Também é comum as mulheres reclamarem muito de inchaço, retenção de líquidos. Beber bastante líquido e diminuir o consumo de sódio podem resolver o problema. Evite os alimentos industrializados: pratos prontos, salgadinhos de pacote, embutidos, sopas de saquinho, sucos em pó, etc. Também diminua o sal.

Metabolismo

– A partir dessa idade o gasto de energia corporal começa a declinar e o metabolismo pode começar a ficar mais lento. Um dos motivos dessa alteração é a perda muscular progressiva que inicia, os músculos são grandes consumidores de calorias, por este motivo é fundamental a prática de exercícios regulares. Para manter ou adquirir massa muscular a musculação pode ser uma boa opção como modalidade a praticar.

Dos 45 aos 60 anos

Menopausa

– No processo de envelhecimento há uma queda dos níveis de estrogênio ovariano que é conhecida como climatério. A menopausa é a interrupção dos ciclos menstruais, que geralmente acontece nessa faixa etária. A reposição hormonal consegue contrabalançar alguns efeitos da menopausa, mas uma alimentação saudável e exercícios físicos regularmente podem contribuir de forma muito positiva. Algumas recomendações são importantes na alimentação: aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes, aumentar também o consumo de fibras que promovem a saciedade, que vai auxiliar na manutenção do peso. A soja e os seus derivados podem ajudar a normalizar os níveis de estrógeno, que é o hormônio responsável por essas alterações hormonais como ditos anteriormente.

Aveia

– A aveia é um cereal altamente nutritivo, além de ser fonte de carboidrato, vitaminas e minerais, é rica em fibras. O tipo de fibra presente na aveia é solúvel, que de acordo com pesquisas podem diminuir os níveis de colesterol no sangue. Essa fibra solúvel chamada ß-glucana é responsável por parte das vantagens nutricionais proporcionadas pelo consumo da aveia, como o bom funcionamento intestinal, a diminuição do colesterol total e LDL (colesterol ruim), e também existem estudos que observaram resultados satisfatórios no controle da pressão arterial e controle da glicemia.

Câncer

– Nesta fase da vida, mais do que nunca, a mulher deve estar atenta ao câncer e se prevenir. Veja os alimentos que podem colaborar na prevenção do câncer:

Hortaliças, frutas e legumes são aliados da redução do risco de câncer de mama e colo de útero. Vegetais alaranjados, como cenoura e abóbora, folhas de cor verde-escuro, como brócolis e espinafre, também previne o câncer de mama. Repolho, brócolis e couve-flor aumentam as defesas orgânicas contra agentes cancerígenos.

Acima de 60 anos

Antioxidantes

– Nesta fase da vida da mulher, vale continuar com os mesmos cuidados das fases anteriores. No entanto, os antioxidantes ganham importância por combaterem os radicais livres que são produzidos pelo organismo por provocando danos celulares. Conheça alguns alimentos antioxidantes: cenoura, linhaça, oleaginosas, frutas cítricas, suco de uva integral, tomate, óleo de coco, soja, brócolis, couve-flor, gérmen de trigo, peixes, etc.

Artrite e Artrose

– A artrite é uma inflamação das articulações que causa dores, perda de movimentos, de massa e de força muscular. Alimentos como vegetais verdes e amarelos (ricos em vitamina C que ajuda a reduzir os danos às células) e ervilhas e feijão (ricos em zinco que melhora o funcionamento do sistema imunológico) podem auxiliar no tratamento. A artrose é uma doença degenerativa no qual ocorrem lesão e perda das cartilagens. É importante procurar manter o peso estável evitando os alimentos ricos em gordura e açúcares, pois o excesso de peso aumenta ainda mais a inflamação.

Absorção

– Com a idade, o corpo fica menos eficiente para absorver e usar alguns nutrientes, por isso o corpo pode precisar de quantidades extras de alguns nutrientes, como o cálcio (leite e derivados, vegetais de folhas verdes escuras), fibras (verduras, legumes, frutas, alimentos integrais), potássio (abacate, tomate, banana, batata, cenoura, beterraba) vitamina B12 (carnes, ovos, fígado), vitamina D (gema de ovo, fígado, peixes) e zinco (carne vermelha, leite de derivados, feijão).

 

Fonte: http://www.maisequilibrio.com.br/nutricao/alimentacao-para-mulheres-2-1-1-672.html

Open post

Alimentos: Alternativas saudáveis aos altos preços

De março do ano passado até março deste ano, os preços dos alimentos chegaram à mesa do consumidor com aumento de de mais de 30%. O IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) revela que os preços subiram 6,34% até março deste ano, contudo, estudos de economistas da Universidade de São Paulo revelam que os preços de frutas, legumes, verduras e alguns cereais, dentre eles, arroz e feijão, acumularam altas de 33,36%.

O preço do tomate, por exemplo, um dos frutos que mais figuravam no prato dos brasileiros, mais que dobrou de preço no período de um ano, com alta de 105,87%. A batata virou outra vilã na alimentação e passou a pesar do bolso, já que ficou 86,51% mais cara.  Com este cenário, fica a dúvida: como driblar a inflação e não faltar alimentos essenciais para manter uma boa nutrição em dia? Se por um lado, comerciantes e feirantes tentam adotar medidas de controle de preços, os consumidores buscam alternativas para não deixar cair a qualidade nutricional dos pratos no dia a dia.

Uma alternativa para substituir frutas que estão caras é optar pelas frutas da estação, como é o caso da goiaba, da ameixa e da uva. E como é possível substituir alimentos caros por aqueles que ofereçam as mesmas vitaminas, minerais e nutrientes por um preço mais em conta? O Mais Equilíbrio fez uma lista de opções de legumes e frutas para que você possa economizar e ainda manter-se saudável!

Laranja pera por…

Manga, melão e kiwi, que, assim como a laranja, são fonte de vitamina C. A vitamina C tem poder antioxidante e é essencial para a saúde dos ossos e dos vasos sanguíneos.

Abacaxi por…

Ameixa, que tem grande quantidade de vitamina C, além das vitaminas do complexo B. Assim como o abacaxi, a ameixa é uma fruta que auxilia na digestão e no trato intestinal.

Tomate por…Pepino, que apesar de ter um gosto completamente diferente do tomate, tem o mesmo valor nutricional e contém vitamina C. A cenoura, um legume que está mais em conta, pode substituir o tomate como suprimento de vitamina C, vitamina E e betacaroteno.

Abobrinha por…

Abóbora nacional, fonte de fibras, vitamina C e outros nutrientes fornecidos também pela abobrinha.

Batata inglesa por…

Batata doce ou inhame. Assim como a batata inglesa, a batata doce e o inhame são ricos em carboidratos, contudo, a batata doce é ainda mais nutritiva que a inglesa, sendo fonte de cálcio, fósforo, potássio, ferro, vitaminas A, C e E, além das do complexo B.

Por Renata Branco

Fonte: http://www.maisequilibrio.com.br/nutricao/alimentos-alternativas-saudaveis-aos-altos-precos-m0316-50727.html

Cansou de batata ou mandioca? Na sopa ou no escondidinho, vá de inhame!

A aparência rústica do inhame, que lembra a de uma batata coberta por pelos, não faz jus ao seu sabor delicado. De casca marrom e polpa branca, essa raiz rica em amido é muito versátil e entra em qualquer receita que leve batata ou mandioca, pois apresenta uma textura bem parecida depois da cocção.

Nunca comeu o ingrediente na vida? Aproveite que está na época e arrisque-se a inclui-lo em seus preparos no dia a dia. Dá até para usar na sobremesa!

Cozimento fácil

Em geral, consome-se o inhame cozido por poucos minutos em um pouco de água com uma pitada de sal. Por ter a casca bem rústica, é sempre recomendável removê-la antes de ir para a panela. “Depois de descascar, lave o inhame em água corrente para tirar um pouco de sua viscosidade natural”, diz o chef Thiago Medeiros, da S Simplesmente, em São Paulo. Depois, deixe de molho em água com vinagre, para evitar que escureça. O chef recomenda também enxugar os pedaços com um papel-toalha, para facilitar a manipulação.

A cor da polpa muda após o cozimento: de branco, passa para um tom de cinza claro. Assim como as batatas e mandiocas, é mais saboroso se comido quente. Mas permanece bom mesmo depois de frio, e pode ser consumido como salada -com molho simples de azeite, suco de limão ou vinagre, sal e pimenta. O chef é um apreciador do ingrediente, e sempre cria pratos que realcem ainda mais suas características. “Gosto de consumi-los assado ou como sopa”, diz ele.

Uma das receitas indicadas por ele é o Braseado. Nesse preparo, a raiz é descascada, cortada em rodelas e grelhada antes de receber outros ingredientes, como alho, cebola, pimenta dedo-de-moça, talos de coentro, pimentões, tomates. Os inhames cozinham lentamente no molho formado, ao qual adiciona-se leite de coco. Dessa forma, fica bem macio e cremoso, além de muito aromático.

 

 

Tadeu Brunelli/UOL

Até no escondidinho

Assim como as batatas, o inhame rende um ótimo purê. O diferente, neste caso, é que ele traz uma ligeira viscosidade, que dá uma liga maior ao preparo, assim como ocorre nos cremes feitos de mandioca. Por isso, combina com receitas como bobó ou escondidinho.

Em uma versão vegetariana dessa receita, o chef Medeiros monta o Escondidinho com Purê de Inhame e um Refogado de Pupunha e Feijão Fradinho. É servido quente, gratinado com farinha de amendoim.

Prefere uma sopa? Com os inhames cozidos em caldo de legumes ou aves, faz-se um prato de textura aveludada que fica ainda mais saboroso se você adicionar verduras como brócolis ou couve-flor. Na hora do preparo, basta refogar a raiz em pedaços com a hortaliça escolhida e temperos como alho, cebola e azeite. Cubra com o caldo quente e cozinhe até tudo ficar macio. Na sequência, bata a sopa no liquidificador (ou mixer), para obter um creme liso. Polvilhe com ervas frescas – especialmente salsinha, cebolinha ou coentro picados – na hora de servir.

Outra forma de aproveitar o inhame cozido e amassado é fazer bolinhos (que podem ser fritos ou assados), recheados de carne-seca refogada ou queijo. Também fica delicioso na massa do pão caseiro, pois agrega umidade e sabor. Por ser bastante neutro, o inhame aceita bem as mais diversas combinações de ingredientes.

Quer variar a batata frita? Chips de inhame também caem bem. Para fazer, descasque o legume e corte em fatias bem fininhas. Frite em óleo quente até ficarem douradas e crocantes. Polvilhe com sal e sirva como acompanhamento para filés grelhados, sanduíches ou para comer puro.

 

 

 

Tadeu Brunelli/UOL

Leite vegetal

Pode parecer estranho, mas o inhame pode também ser ingerido cru, em forma de “leite” vegetal. Para preparar a bebida, bata o inhame descascado e em pedaços, no liquidificador com água mineral até obter uma mistura homogênea. Depois, é só coar e usar o leite como base para shakes e vitaminas com frutas, cereais e mel. Por ser rico em nutrientes, virou queridinho da turma fitness e é muito adotado por quem segue dietas vegetarianas.

Porém, o inhame cru pode causar reações alérgicas em pessoas mais sensíveis. Algumas pessoas podem sentir coceira e vermelhidão nas mãos simplesmente pelo fato de descascar o inhame. Por isso, antes de consumir essa raiz crua, é importante tocar a polpa ou passá-la um pouquinho sobre a pele e aguardar alguns minutos para ver se não houve reação. As substâncias irritantes são neutralizadas com o cozimento. Se estiver na dúvida, prefira o inhame cozido.

Tadeu Brunelli/UOL

Mordida doce

O inhame é considerado comida “da roça”. Em cidades do interior, o pão do café da manhã é substituído por essa raiz cozida, servida com manteiga derretida, melaço de cana ou mel.

Além da primeira refeição do dia, o inhame também pode brilhar na sobremesa. O chef Medeiros ensina o preparo de uma mousse que combina essa raiz cozida e cacau, numa versão mais magra desse doce clássico francês. A sobremesa é complementada por castanha de caju, chocolate amargo e tâmaras.

Marcelo Justo/FolhapressMarcelo Justo/Folhapress

Compra e conservação

O inhame pode variar de tamanho, de pequenas esferas a raízes maiores, de formato um pouco mais alongado. Muitas pessoas confundem com o cará, que possui a polpa mais firme depois de cozida e é bem maior em tamanho, lembrando a mandioca.

Na hora da compra, prefira os inhames que estejam bem firmes, sem sinal de umidade ou partes amolecidas. Também evite os que apresentarem partes escuras e mofadas. A polpa do inhame deve ser bem branca e clara; se tiver alguns pedaços pretos, descarte o ingrediente todo.

Fonte: Luciana Mastrorosa – Colaboração para o UOL, de São Paulo

http://comidasebebidas.uol.com.br/listas/cansou-de-batata-ou-mandioca-na-sopa-ou-no-escondidinho-va-de-inhame.htm

 

Posts navigation

1 2 3 4 5 8 9 10