Open post

Está se sentindo cansada? Veja dicas para melhorar seu bem-estar.

O final do ano está aí e é normal nessa época do ano bater o cansaço.

Uma boa solução pode ser tirar férias. Mas, se você acabou de tirar férias, ou está sempre se sentido cansada, esse cansaço pode estar relacionado com outras causas.

Nós nos expressamos por meio de nosso corpo, e é justamente nele que se soma todo o estresse físico e mental. O cansaço é a debilitação das suas forças, causando fraqueza em um ou mais músculos do corpo. O cansaço pode ser provocado por diversos motivos, desde noites mal dormidas até falta de vitaminas ou problemas psicológicos.

O que pode causar esse cansaço?

Está se sentindo cansada? Veja dicas para melhorar seu bem-estar.

Anemia

A anemia pode causar cansaço, sono, desânimo, queda de cabelos e até mesmo falta de ar. Nas mulheres, é um fenômeno mais recorrente durante a menstruação, quando a perda de sangue aumenta o déficit de ferro no organismo.

Depressão

Vigor abaixo de zero é um traço de quem sofre com depressão. Apesar de ser uma doença de origem psíquica, a depressão acaba com a disposição física. Nela, ocorre um processo inflamatório dentro dos neurônios que atrapalha seu funcionamento, e isso acaba gerando o cansaço.

Problemas com a Tireoide

Os hormônios tireoidianos são vitais para manter o metabolismo aceso. Uma característica comum entre o hipertireoidismo, quando a tireoide trabalha demais, e o hipotireoidismo, situação em que a glândula fica lenta, é a apatia total. O coração bate muito rápido e o indivíduo se queixa de cansaço extremo.

Infecções

Seja naquela gripe passageira, seja em um quadro mais severo, como a hepatite, a pessoa fica enfraquecida, em maior ou menor grau. É que o organismo concentra suas forças na luta contra o agente infeccioso, daí o esgotamento da pessoa.

Falta de Vitamina D

Estudos atuais revelam que a baixa dosagem de vitamina D no sangue é uma das prováveis causas do cansaço excessivo e sensação de desânimo. A dosagem de vitamina D no sangue é feita em laboratório e deve ficar acima de 40 mg/dl. Se a exposição do sol não for suficiente é preciso fazer a suplementação de vitamina D.

Dietas Restritivas

Eliminar de maneira radical grande quantidade de alimentos ou fazer dietas da moda que cortam de maneira exagerada certos grupos alimentares podem gerar déficits nutricionais.O carboidrato, por exemplo, nos dá glicose, que é um combustível importante para o corpo e sem ele a sensação de esgotamento é mais frequente, tornando as queixas de cansaço e falta de energia mais comuns após as duas primeiras semanas de restrição.

Ansiedade

A ansiedade e o estresse são sem sombra de dúvidas males da vida moderna e a queixa mais frequente é a de acordar cansado. O estresse libera quantidades altas de cortisol e adrenalina, hormônios que em altas doses prejudicam o funcionamento dos neurotransmissores, deixando os indivíduos ansiosos, com dificuldade de concentração e no sono. O tratamento nesse caso é praticar uma atividade física prazerosa, que alivie as tensões, e em casos extremos a recomendação é a de uso de medicamentos.

Outras causas

  • Problemas com o sono (insônia, poucas horas dormidas, sono de má qualidade e sono agitado)
  • Excesso de atividades físicas geram cansaço e fadiga muscular
  • Má alimentação. A alimentação incorreta pode deixar o organismo com falta de importantes vitaminas, minerais e macronutrientes fundamentais para o processo de energia do corpo.
  • Mau funcionamento do intestino
  • Gastar energia com coisas sem importância
  • Ser muito sedentário, se movimentar pouco também causa cansaço
  • Várias condições e doenças específicas; é sempre importante consultar um médico

O que fazer para melhorar o cansaço?

  • Procure relaxar e dormir bem. Uma simples boa noite de sono é geralmente o remédio perfeito para revigorar as energias.
  • Faça uma alimentação balanceada e procure distribuir bem as suas refeições ao longo dia. Procure evitar a ingestão de cafeína e bebidas alcoólicas perto da hora de dormir.
  • Acrescente as atividades físicas aos poucos em sua rotina diária e depois aumente a duração e a intensidade dos exercícios lentamente. Procure começar com 10 minutos de atividades físicas por dia e mantenha uma regularidade. Andar ajudará a manter uma boa forma e, consequentemente você ficará menos vulnerável ao cansaço.
  • Para quem não quer se cansar, um conselho: beba água. Manter o corpo abastecido de líquidos pode ser uma tática de sucesso. Se a pessoa não se hidratar, as células vão extrair a água da circulação. O sangue se torna mais denso e a absorção da energia também vai ser dificultada.
  • Atenuar o estresse é fundamental para fugir da indisposição. E nada melhor do que fazer aquilo de que se gosta para chacoalhar a rotina. As atividades prazerosas são estimulantes para o cérebro e para o corpo. Enfim, evitam que a gente enferruje.
  • Se você se sente fraco e cansado, pode ser que isso esteja ocorrendo por falta de vitaminas e minerais. Veja se a suplementação é uma boa idéia para você.
  • Se a fadiga não vai embora, o importante é procurar auxílio de um médico. Ele poderá pedir exames como hemograma, teste de glicemia, dosagem hormonal e outros mais específicos, como o eletrocardiograma e o teste de função hepática, que ajudam a identificar o que está prejudicando a disposição.

Se você já passou por um tratamento para melhorar seu cansaço, compartilhe conosco!

Fonte: https://belezaesaude.com/cansada-dicas-melhorar-bem-estar/00

Open post

Quais alimentos mais possuem proteínas?

Uma quantidade adequada de proteínas promove força muscular, saciedade, perda de peso e melhor saúde em geral. Por isso, é sempre importante buscar alimentos proteicos de qualidade.

As proteínas são moléculas orgânicas compostas de aminoácidos que auxiliam no crescimento e na reparação de tecidos, ajudam na produção de enzimas, hormônios, neurotransmissores e anticorpos, na reposição do gasto energético das células e no transporte de substâncias para o corpo.

Alguns destes aminoácidos podem ser produzidos pelo corpo, e outros podem ser obtidos através da dieta. Esses aminoácidos que o corpo não produz são chamados de aminoácidos essenciais.

De um modo geral, a proteína animal fornece todos os aminoácidos essenciais na proporção certa para nós a fazer pleno uso deles. Se você está comendo produtos de origem animal (como carnes , peixes, ovos ou laticínios) todos os dias, a quantidade necessária de proteína provavelmente está sendo suprida.

Se você é vegetariano é um pouco mais difícil de obter todas as proteínas e aminoácidos essenciais que o corpo necessita. Muitos especialistas concordam que uma dieta vegetariana ou vegana bem planejada pode sim fornecer todos os nutrientes que você precisa.

Qual a quantidade necessária de proteína?

Não existe uma quantidade certa que sirva para todos. A quantidade ideal varia de acordo com o peso e o quão ativa é cada indivíduo.

É importante não exagerar na proteína. Não devemos deixar faltá-la no corpo, mas há de se evitar exageros, como tenho visto em dietas onde a proteína é o componente principal.

Para obter a quantidade adequada, o ideal é comer pelo menos um pouco de proteína em todas as refeições do dia. Para isso, a suplementação com whey protein é bastante adequada e recomendada para todos quando feita com critério.

Para uma pessoa saudável, ativa, mas que não levanta pesos e nem faz musculação, equivale mais ou menos para homens de 70 a 100 g de proteína e mulheres de 50 a 80 g de proteína diariamente. Se você é um atleta ou pratica musculação é preciso bem mais do que isso.

Alimentos Ricos em Proteínas

Peito de Frango

Quais alimentos mais possuem proteínas?

O peito de frango é um dos alimentos mais ricos em proteínas. Alguns estudos mostram que o consumo de frango em uma dieta de alta proteína pode ajudar a perder peso. No entanto, os mesmos benefícios também são vistos com carne como a principal fonte de proteína. Opte por frangos caipiras e criados soltos: eles têm mais proteínas, vitaminas, minerais, antioxidantes e ômega 3.

Carne Vermelha

Carne vermelha é uma fonte de proteína completa, contendo todos os aminoácidos essenciais para a construção e manutenção da massa muscular. Também fornece uma quantia significativa de zinco, nutriente essencial para a produção natural de testosterona em homens e mulheres. É também a principal fonte natural de creatina.

Queijo

Quais alimentos mais possuem proteínas?

O queijo tem proteínas, cálcio, vitaminas, gorduras, e minerais. Para formação e crescimento do músculo, as proteínas são necessárias. Todos os queijos contém proteínas, mas o tipo cottage é o mais rico.

Camarão

Eles não são apenas ricos em proteínas, mas também com baixo teor de calorias, carboidratos e gordura. Camarão contém algumas vitaminas do complexo B. Eles também contêm ferro, zinco, fósforo, cobre e selênio.

Ovo

Quais alimentos mais possuem proteínas?

O ovo é um alimento muito versátil e nutritivo. Além disso contém proteína, principalmente na clara. A proteína da clara do ovo pode ser considerada uma proteína de alto valor biológico (AVB), o que demonstra que ela possui todos os aminoácidos essenciais para o corpo.

Atum

Rico em proteína e também uma boa fonte de vitaminas do complexo B, além de minerais como o magnésio, fósforo e potássio. Também tem propriedades antioxidantes, devido a quantidades elevadas de selênio. Além disso, o atum é uma boa fonte de ácidos graxos ômega-3, que combatem a inflamação.

Lentilha

Quais alimentos mais possuem proteínas?

A lentilha tem um elevado teor de triptofano, um aminoácido importantíssimo na produção de proteínas. É também um precursor da serotonina e da melatonina, com efeitos sedativo e calmante. Por isso, é também de grande ajuda na prevenção da depressão.

Grão-de-Bico

Contém proteínas, mas não tão completas e por isso seu consumo deve ser combinado a outros alimentos, como arroz e ervilhas. O grão-de-bico é ainda rico em vitaminas do complexo B, fibras, cálcio e magnésio.

Spirulina

Quais alimentos mais possuem proteínas?

Esta alga verde é definitivamente uma potência nutricional. Além de conter proteínas, a spirulina contém magnésio, riboflavina, manganês, potássio e pequenas quantidades da maioria dos outros nutrientes que seu corpo precisa, incluindo os ácidos gordos essenciais.

Cogumelos

Esses alimentos são também fontes protéicas e possuem vitaminas B1, B2, B3, B7 e C, sódio, potássio e fósforo. A variedade de tipos atende a todos os gostos: paris, shiitake, shimeji e funghi. Qualquer tipo de cogumelo pode ser consumido de 2 a 3 vezes por semana, pois também contém nutrientes que estimulam o desenvolvimento do sistema imunológico.

Castanhas

Quais alimentos mais possuem proteínas?

As castanhas (sementes oleoaginosas) como a castanha do pará, amêndoas, nozes, avelãs e castanha de caju, também são ricas em proteínas. As castanhas são também excelentes fontes de gorduras e fibras saudáveis, para além de ferro, de cálcio, de magnésio, selênio, fósforo, vitamina E e certas vitaminas B.

Gérmen de Trigo

Com sua abundante quantidade de proteínas, vitaminas e antioxidantes, o gérmen de trigo retarda o envelhecimento da pele, ajuda nos cabelos e na saúde em geral, oferecendo-se como um excelente cosmético e suplemento alimentar.

Confira a Quantidade de Proteína de Alguns Alimentos

Alimentos Proteína por 100g
Carne de Frango 31 g
Carne Vermelha 26 g
Queijo 24 g
Germe de Trigo 23 g
Atum 23 g
Castanhas 21 g
Camarão 20 g
Grão de bico 14 g
Ovo 13 g
Lentilha 9 g

O importante é ter uma dieta diversificada, combinando diversos alimentos para obter as quantidades necessárias de proteína e todos os aminoácidos importantes para o bom funcionamento do corpo.

Fonte: https://belezaesaude.com/alimentos-proteinas/

Open post

10 Passos para Melhorar sua Qualidade de Vida

Você já parou para pensar como está a sua qualidade de vida? O que você tem feito para melhorar sua saúde, seu bem-estar?

Dados do Ministério da Saúde apontam que doenças associadas ao estilo de vida matam mais que o trânsito e a violência. Essas doenças normalmente estão relacionadas com o aparelho circulatório: infartos, derrames, diabetes e hipertensão, entre outras. A maior parte dos cânceres também é relacionada com estilo de vida.

Então se você é sedentário, fuma, consome álcool em excesso e tem uma alimentação inadequada, você pertence ao grupo com maior quadro de morte prematura no país.  Que tal pensar um pouco mais em você e no seu estilo de vida? A melhoria de sua qualidade de vida só depende de você.

Como Melhorar sua Qualidade de Vida?

Veja abaixo algumas atitudes que podem ajudar a manter seu bem-estar físico e mental:

  1. Mantenha a mente ativa: Pesquisas mostram que a doença de Alzheimer tem maior incidência entre as pessoas com baixo nível de instrução. Estudo publicado no New England Journal of Medicine relaciona a leitura, os jogos de cartas e de tabuleiro e as palavras cruzadas com a redução do risco de demência em pessoas com mais de 75 anos.
  2. Respire mais profundamente.  O sangue precisa de oxigênio. A respiração profunda amplia a clareza da mente e dá mais saúde física. Faça isso calmamente durante alguns minutos do dia, preferencialmente em algum lugar com muito ar puro.
  3. Faça exercícios físicos diariamente.  Caminhe, ande de bicicleta, faça um pouco de yoga, jogue vôlei, futebol, basquete, tênis. Exercícios físicos moderados são essenciais para manter a saúde e uma atitude equilibrada diante da vida, evitando as causas do estresse e tensão.
  4. Saboreie um bom chocolate. Em pequenas quantidades, ele pode ser benéfico à saúde. Segundo estudo do King’s College, de Londres, a quantidade de flavonóides encontrada em 50 gramas de chocolate é equivalente à de seis maçãs, duas taças de vinho ou sete cebolas. Os flavonoides têm sido apontados como importantes armas no combate aos radicais livres.
  5. Pratique meditação.  Considerada por alguns como instrumento para uma ecologia da mente e dos sentimentos, a meditação não é uma prática tão complicada quanto se pensa. Basta sentar-se em silêncio e observar a passagem dos pensamentos pela mente como se fossem nuvens do céu. Isto é, não se prenda a eles — apenas observe-os e deixe-os passar.
  6. Tenha mais contato com a natureza.  Deixe de lado a tensão do trabalho urbano e visite os lugares da natureza. Esvazie-se da pressa e aprenda a ouvir a música e harmonia presentes no silêncio da natureza.
  7. Durma bem.  Estudos sugerem que a falta de sono crônica pode ter um impacto negativo nas funções metabólicas e endócrinas. Quando se dorme menos de cinco horas, há um desequilíbrio no metabolismo.
  8. Seja mais otimista.  Após dez anos estudando como a personalidade de uma pessoa pode influir no aumento ou na diminuição da expectativa de vida, pesquisadores holandeses concluíram que ter uma atitude positiva melhora o bem-estar e  diminui o risco de doenças.
  9. Se alimente bem. Dê uma atenção especial ao momento das refeições. Prefira uma alimentação natural, evitando exagerar nas carnes vermelhas, que são de difícil digestão. Inclua doses de fibras, frutas e verduras no seu dia-a-dia. Evite comer muita fritura e doces. Cuidado com as quantidades, comer menos e mais vezes é a melhor solução.
  10. Aceite sua vida.  Em primeiro lugar é importante deixar claro que aceitar não significa se acomodar e se conformar com situações que podem ser mudadas. Lute para melhorar o que estiver ao seu alcance, mas procure, ao mesmo tempo, ver o que existe de positivo em sua casa, sua família, sua cidade e em tudo mais que estiver à sua volta.

Fonte: https://belezaesaude.com/passos-melhorar-qualidade-vida/

Open post

Rúcula: Opção Fantástica para sua Saúde

Você costuma consumir rúcula? Se não consome, é hora de dar mais atenção a ela, pois é repleta de nutrientes e faz um bem danado para saúde.

A rúcula, membro da mesma família do brócolis, repolho e outros vegetais crucíferos, também possui um perfil nutricional bastante atrativo. Ela é boa fonte de betacaroteno, vitamina C, vitamina K e minerais como o potássio, ferro, manganês, magnésio, zinco e cobre. Suas folhas apresentam propriedades digestivas, diuréticas e são amplamente reconhecidas como um potente alimento anticâncer, pois apresentam diversos fitoquímicos, que desempenham um papel antioxidante vital no corpo. Eles ajudam a livrar o corpo de toxinas e substâncias cancerígenas.

Se fizermos uma comparação nutricional entre a rúcula e a alface, veremos que a rúcula contém cerca de oito vezes mais cálcio, cinco vezes mais vitamina A, vitamina C e vitamina K, além de quatro vezes mais ferro que a mesma quantidade de alface.

A rúcula também é considerada superior a  outras folhas verdes porque, ao contrário destas, ela tem baixa concentração de ácido oxalático, um composto químico natural que inibe a absorção de alguns minerais pelo organismo.

A rúcula contém altos níveis de folatos e antioxidantes, o que a torna uma forte aliada na luta contra os radicais livres. Ela também é rica em carotenoides e minerais. Contém fitoquímicos, que são benéficos na prevenção do câncer. Fitoquímicos são compostos derivados de plantas, responsáveis por grande parte da defesa do nosso organismo contra doenças, entre as quais podemos citar pressão alta, deterioração da visão, envelhecimento da pele causado por radicais livres, aumento do colesterol ruim e câncer por causa da degeneração celular.

A rúcula é também uma rica fonte em fitoquímicos como o sulforafano, que possui excelentes efeitos quimioprotectores e ajuda a combater substâncias cancerígenas.

Benefícios da Rúcula

  • A vitamina C presente na rúcula proporciona um impulso ao funcionamento do sistema imunológico, responsável pela defesa do nosso corpo. Ele é responsável por buscar as ameaças trazidas pelos radicais livres e processos inflamatórios e eliminá-los antes que possam nos causar doenças.
  • A rúcula é uma boa fonte de carotenoides, pigmentos de gordura solúveis que são conhecidos por ajudar a prevenir a degeneração macular. A vitamina C presente na rúcula pode ajudar na prevenção da catarata.
  • Os baixos níveis de oxalatos, combinadas com uma grande variedade de vitaminas e minerais encontrados na rúcula, a torna grande para a saúde óssea. Um estudo sobre a vitamina K descobriu que o consumo diário de vitamina levou à diminuição dos riscos de fraturas ósseas. O cálcio, potássio, magnésio, manganês e vitamina C são também considerados bons contribuintes para a saúde dos ossos.
  • As folhas de rúcula também são ricas em certos fitoquímicos. Estes componentes têm sido usados por cientistas para anular os efeitos cancerígenos do hormônio estrógeno, além de oferecer proteção contra o crescimento das células cancerosas na próstata, mama, colo do útero e ovários.
  • Estudos apontam que o consumo adequado de vitamina K fortalece o sistema neural evitando a degeneração das conexões neurais em indivíduos jovens, como ocorre no caso do mal de Alzheimer. A ingestão de rúcula é uma boa saída para evitar a deficiência de vitamina K na dieta e assim inibir doenças degenerativas do cérebro e manter a sua mente ativa e focada.
  • Os vegetais de folhas verdes como a rúcula contêm antioxidantes que já provaram diminuir os níveis de glicose no sangue e aumentar a absorção da insulina em pacientes com diabetes. O controle do peso é fundamental para evitar o diabetes tipo dois e o consumo de rúcula como uma fonte rica em fibras e com pouquíssimas calorias, pode ser fundamental em uma dieta para perder peso.
  • A rúcula está entre os vegetais com alta concentração de nitrato, substância que melhora a oxigenação muscular durante exercícios físicos. A ingestão de nitrato pode aumentar a tolerância do organismo durante exercícios físicos de resistência e de longa duração. O consumo de rúcula pode eventualmente melhorar a qualidade de vida de pessoas com doenças cardiovasculares, respiratórias, ou metabólicas porque estimula a oxigenação ideal dos músculos dos sistemas envolvidos.
  • O gosto amargo das folhas da rúcula é proveniente dos compostos de enxofre, ou sulforafano, que ela contém. Estes compostos ajudam a melhorar a digestão em pessoas que sofrem de indigestão crônica por excesso de acidez no estômago. Comer folhas de rúcula cerca de quinze minutos antes das refeições estimula a produção da bile, e melhora o processo de digestão dos alimentos.

Dicas para o Consumo de Rúcula

Para obter o máximo de benefícios da rúcula aliada ao sabor, escolha folhas jovens, tenras e de verde vivo para preparar a salada de rúcula. As folhas mais velhas são mais duras e devem ser usadas em pratos quentes. A rúcula também pode ser usada no preparo de sucos junto com outras folhas verdes ou misturada com frutas e vegetais para fazer vitaminas. Guarde-a sempre na geladeira, na gaveta indicada para os vegetais, onde a umidade é alta e apropriada para sua melhor conservação.

A hortaliça é vendida em maços. Na hora da compra, é recomendável optar por rúculas firmes, brilhantes, além de verificar se seus talos não estão quebrados, já que assim as folhas murcham com maior facilidade.

E você, costuma consumir rúcula?

Fonte: https://belezaesaude.com/rucula/